quarta-feira, 28 de julho de 2010

47º ANIVERSÁRIO DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE POÇO BRANCO

No dia 26 do corrente o município de Poço Branco comemorou seu 47º aniversário de Emancipação Política. Toda a comunidade católica se reuniu em torno do altar da igreja do Sagrado Coração de Jesus para render graças a Deus por mais um ano de lutas e trabalhos.
Ao final da Santa Missa, que foi presidida pelo Pe. João Maria dos Anjos, houve uma apresentação com as crianças do PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil), onde crianças carentes mostraram seu potencial com uma música muito linda de agradecimento a Deus. Afinadíssimas, as crianças emocionaram as pessoas presentes na igreja.
O prefeito do município, o sr. José Maurício resssaltou no final que, a exemplo do Rei Salomão, pede a Deus sabedoria para conduzir os trabalhos no município.
Que o Sagrado Coração de Jesus possa abençoar este município que luta por dias melhores.
Que a comunidade do Sagrado Coração de Jesus também possa, um dia, comemorar também sua emancipação.

ENCONTRÃO DO POVO DE DEUS

Neste último dia 25/07 a Paróquia de Santo Antão Abade, em São Bento do Norte sediou o Encontrão do Povo de Deus do 7º Zonal.

A Paróquia Nossa Senhora do Livramento esteve presente a este encontro anual que reúne todas as paróquias que compõem o 7º Zonal da Arquidiocese de Natal.

A Comunidade do Sagrado Coração de Jesus, de Poço Branco, marcou sua presença.


SS. Sacramento

Leitura

Evangelho

Paulo Henrique na hora do rango

(Da esq. para a dir.) Generoza, Pe. João dos Anjos, Verônica e Francisco

terça-feira, 20 de julho de 2010

MISSÃO

Os jovens se perguntam constantemente que caminho seguir, que rumo tomar na vida, ou até mesmo se tem uma missão a cumprir neste mundo. São tantos questionamentos e inquietudes que envolvem a mente de um jovem, que às vezes entramos em crise existencial, contudo deve-se tirar ensinamentos de cada dúvida e de cada questionamento. A busca pela verdade e a justiça tem quer ser incessante, e a empreitada pela edificação dos corações incansável.

“O coração humano projeta o caminho, mas é o Senhor quem dirige os passos” (provérbios 16, 9). “Ensina-me a cumprir tua vontade, porque és meu Deus. Teu espírito bom me guie por uma estrada plana” (salmos, 143,10).

Os ensinamentos da palavra de Deus, por meio das citações acima empregadas, nos fazem acreditar que somos capazes de cumprir nossa missão no mundo terreno, desde que o envolvimento seja por meio da verdade e da justiça. Uma vida limpa e lúcida.

Deus sempre está conosco nos auxiliando e abrindo o caminho. O seu passo sempre está à frente dos nossos. Desde cedo nos prepara para a vida, e põe em nosso meio pessoas que possam nos ajudar. Os pais, os irmãos e os amigos. Estas pessoas se tornam anjos para nós.

O medo de errar sempre bate a nossa porta e a decisão de sermos quem somos está no presente, não no passado ou no futuro incerto. Os sonhos de criança se tornam reais, a responsabilidade chega e o encanto muitas vezes acaba. Não somos mais crianças, temos um caminho, um objetivo, uma meta a alcançar. A cobrança em casa aumenta e os pais ficam preocupados com o nosso futuro, mas somos tão jovens que demoramos a compreender o sentido de tudo isso.

Nascemos, crescemos, damos frutos e morremos. O ciclo da vida é esse. E a vida? Cíclica. Um dia estamos bem e no outro, não tão bem como queríamos. Mas e aí, devemos esperar a vida passar? Não, devemos depositar a confiança em Cristo e pedir a ele que nos mostre o que deseja da gente. Não importa que sejamos médicos, engenheiros, advogados, políticos, professores, agricultores ou pescadores. Talvez, como pescadores sejamos mais felizes, se fomos pescadores de almas como Jesus Cristo foi.

Nossa missão é evangelizar, levar Cristo a todos, sem distinção. A escolha pode e deve ser essa. O resto? Deus nos dará como acréscimo.

Josy Souza.

domingo, 18 de julho de 2010

QUAL O LUGAR MAIS RICO DA TERRA?

Certa vez um palestrante impactou um auditório ao fazer esta pergunta: “Qual o lugar mais rico da terra?” Todos ficaram sem o que dizer, sem uma resposta imediata. Lugar rico? Que lugar é esse? Onde fica esse lugar? O que esse palestrante quer dizer? Aonde quer chegar? O bom de uma pergunta é que leva você a raciocinar, a se mover, a sair da letargia, a se interiorizar. As respostas foram as mais diversas possíveis: “O FMI!!!!”, apontaram alguns. “O Banco Mundial, os Estados Unidos, A Casa da Moeda, as minas do Rei Salomão!!!!”, exclamaram outros. Balbúrdia grande no recinto. Impassível, senhor absoluto do momento, o palestrante pacientemente aguardava. Como, segundo ele, ninguém respondeu acertadamente, decidiu quebrar o mistério: “O lugar mais rico da Terra é o cemitério!”. Silêncio sepulcral. A resposta era por demais inesperada. Um espanto geral acometeu a todos.

O tema da palestra girava em torno da necessidade de você sair da rotina – e realizar. Quebrar preconceitos, omissões, acomodações, timidez. Aliás, sobre timidez a Ciência já chegou à conclusão que é pura demonstração de orgulho – só e somente só. Orgulhoso em alta dose, o tímido não quer errar, não quer ousar. E, com receio de se expor, de ser ridicularizado, se escuda atrás de um emaranhado de argumentos próprios da sua índole. Para se justificar, utiliza motivos que às vezes atingem a raia do absurdo. O tímido, muitas vezes sem notar, acaba por se permitir uma postura tal que gera uma vida de inércia e de anulação de si próprio. Mas voltemos ao tal lugar mais rico da face da Terra. Porque é o cemitério especificamente o tal lugar? Nos acostumamos a ver o cemitério como o final de tudo, um recanto de onde nada mais possa se originar. Como um lugar assim pode ser tão rico?

A resposta é muito simples. Quantas pessoas, ao longo da vida, acalentaram sonhos, projetos, ambições – sem que tenham conseguido realizá-los. Muitas delas chegam diante da morte sem sentir o sabor, o gosto da vitória do que tanto sonharam. Sem lutar pela concretização do que tanto almejam, tornam o cemitério, assim, um lugar riquíssimo de projetos e sonhos inacabados. Em todos os cantos que você vai há sempre alguém dizendo “ah, eu tenho um sonho de construir.....; Ah, eu gostaria tanto de fazer..........”; São tantos os sonhos e, ao mesmo tempo, tão pouca a disposição de realizá-los, que o cemitério termina cheio de propostas maravilhosas – que nunca saíram do campo dos sonhos. A questão em si não é a pessoa sonhar e não realizar o sonho. O problema deve ser visto por outro ângulo: quantas pessoas deixaram de ser beneficiadas por sonhos arquivados, irrealizados?

Os que crêem sabem que os sonhos são desígnios de Deus em nossas vidas. Afinal, Deus é um realizador. Ele quer que nós mantenhamos uma vida de edificação, de construção – em nosso próprio favor e também direcionada ao próximo. Imagine se Santos Dumont não tivesse sonhado em voar; se Ford não tivesse sonhado em fabricar carros em série; se Sabin não tivesse sonhado que uma vacina livraria milhares e milhares da poliomielite; se Spielberg não tivesse sonhado em filmar; se os fenícios não tivessem sonhado em singrar os mares; se Bell não tivesse sonhado com o telefone; se Gutemberg não tivesse sonhado com a Imprensa; se o homem não tivesse sonhado em ir a Lua; se..... Há dois tipos de sonhadores: os que amam tanto seus sonhos a ponto de enfrentar qualquer obstáculo para realizá-los. E os que sonham apenas no nível dos sonhos – levando-os, sem vida, inexoravelmente para o cemitério.

E você? Agora, neste exato momento, qual o sonho que lhe arrebata, qual o projeto que lhe tira o sono, que faz você vibrar de excitação ante a idéia de sua realização? O que tanto você almeja? É de difícil realização? Pense agora no seu sonho realizado, vivo, gerando outros sonhos, preenchendo espaços, expulsando a tristeza e instalando a alegria – lhe tirando da inércia e lhe fazendo um realizador! Pense no cemitério mais pobre um pouco em função do seu sonho jamais chegar a ser enterrado lá. Seu sonho é escrever um livro? – Escreva-o! É montar uma peça de teatro? – Monte-a! É abrir uma loja? – Abra-a! É fazer um curso no exterior? – Faça-o! É ser cientista? – Lute para sê-lo! Há uma música que diz assim: “Não desista, não pare de crer, os sonhos de Deus jamais vão morrer. Não desista, não pare de lutar....” Há uma tendência de seu sonho ir, junto com você, para o cemitério. Você vai deixar?

Públio José - Jornalista

NA SIMPLICIDADE DA ORAÇÃO

Quando vocês rezarem não façam como os pagãos, eles pensam que serão ouvidos por causa do seu palavreado.(MT 6:7). Como esta escrito no evangelho de são Mateus, não é pela quantidade de palavras que falamos que Deus nos escuta mais depressa, as vezes essas palavras só saem da boca para fora, sem nenhum sentimento de fé e amor a Deus. A oração é um momento onde reconhecemos Deus como único e absoluto, ela sempre vem acompanhada de um pedido, agradecimento ou reclamação. Quando rezamos fazemos a linda experiência de falar com Deus e senti-lo, principalmente quando oramos com simplicidade. Essa oração também chamada de oração vocal aquela onde não precisa de palavras complicadas, mas onde tomamos consciência daquele com quem falamos. Orar com simplicidade é aquilo que para algumas pessoas chamam de falar com Deus e que diariamente fazemos e as vezes nem prestamos atenção. O Pai-Nosso é a oração que o Senhor nos ensinou, ela é exemplo de oração vocal, nela a simplicidade se faz presente na intimidade de Deus com o homem. Um dia li uma frase que dizia que o Pai-Nosso resume-se em três palavras: pão, perseverança e boa convivência com os irmãos. Queridos leitores, é na simplicidade que Deus aproxima-se de nós. Essa oração é possível ser feita num passeio solitário, na fila de um caixa ou em qualquer lugar, porque orar é necessidade vital.
Simara Morais

terça-feira, 13 de julho de 2010

CUIDADO COM A SAÚDE DOS NOSSOS IDOSOS

Sempre que dou aula de Clínica Médica a estudantes do quarto ano de Medicina, lanço a pergunta:

- Quais as causas que mais fazem o vovô ou a vovó terem confusão mental?

Alguns arriscam: "Tumor na cabeça". Eu digo: "Não". Outros apostam: "Mal de Alzheimer". Respondo, novamente: "Não". A cada negativa a turma espanta-se.
E fica ainda mais boquiaberta quando enumero os três responsáveis mais comuns:

- diabetes descontrolado;
- infecção urinária;
- a família passou um dia inteiro no shopping, enquanto os idosos ficaram em casa.

Parece brincadeira, mas não é. Constantemente vovô e vovó, sem sentir sede, deixam de tomar líquidos. Quando falta gente em casa para lembrá-los, desidratam-se com rapidez. A desidratação tende a ser grave e afeta todo o organismo. Pode causar confusão mental abrupta, queda de pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos ("batedeira"), angina (dor no peito), coma e até morte.

Insisto: não é brincadeira.

Na melhor idade, que começa aos 60 anos, temos pouco mais de 50% de água no corpo. Isso faz parte do processo natural de envelhecimento. Portanto, os idosos têm menor reserva hídrica. Mas há outro complicador: mesmo desidratados, eles não sentem vontade de tomar água, pois os seus mecanismos de equilíbrio interno não funcionam muito bem.

Conclusão: Idosos desidratam-se facilmente não apenas porque possuem reserva hídrica menor, mas também porque percebem menos a falta de água em seu corpo. Mesmo que o idoso seja saudável, fica prejudicado o desempenho das reações químicas e funções de todo o seu organismo.

Por isso, aqui vão dois alertas. O primeiro é para vovós e vovôs: tornem voluntário o hábito de beber líquidos. Por líquido entenda-se água, sucos, chás, água-de-coco, leite. Sopa, gelatina e frutas ricas em água, como melão, melancia, abacaxi, laranja e tangerina, também funcionam. O importante é, a cada duas horas, botar algum líquido para dentro.

Lembrem-se disso!

Meu segundo alerta é para os familiares: ofereçam constantemente líquidos aos idosos. Ao mesmo tempo, fiquem atentos. Ao perceberem que estão rejeitando líquidos e, de um dia para o outro, ficam confusos, irritadiços, fora do ar, atenção. É quase certo que sejam sintomas decorrentes de desidratação.

"Líquido neles e rápido para um serviço médico".

Arnaldo Lichtenstein (46), médico, é clínico-geral do Hospital das Clínicas e professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

segunda-feira, 5 de julho de 2010

BEATIFICAÇÃO DA VENERÁVEL BARBARA MAIX

Religiosa austríaca que viveu no Rio Grande do Sul no século 18 está prestes a ser beatificada pelo Papa Bento XVI. Trata-se da Venerável Bárbara Maix, fundadora da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria. Ela nasceu m Viena (Áustria) em junho de 1818 e faleceu em 1873 na cidade de Catumbi (RJ). A freira será a primeira mulher que viveu no Rio Grande do Sul a alcançar o título.
No fim do mês de março, o Papa Bento XVI autorizou a publicação do Decreto do milagre atribuído a intercessão da fundadora: A cura prodigiosa do menino Onorino Ecker que em julho de 1944 ficou completamente curado após sofrer queimaduras de terceiro graus quando caiu em uma panela de água fervente em uma fogueira. Com isso, a etapa da beatificação será finalizada dentro do processo que pede a canonização de Bárbara Maix.
Segundo Irmã Marlise Handges, Diretora Geral da Congregação, a beatificação da fundadora oportuniza a ampla divulgação do legado por deixado pela fundadora: “Será um revigoramento para toda a Congregação, levando-nos a buscar na fonte original a força dinamizadora para darmos continuidade a esta obra que, conforme Bárbara afirmou, é de Deus. À medida que a Congregação foi conhecendo mais a vida da Fundadora, sua missão, seus escritos, foi percebendo que não poderia reter esta riqueza de vida apenas para si. Era preciso que o seu exemplo fosse divulgado, para que outras pessoas pudessem se inspirar e perceber que a doação da vida, apesar dos sofrimentos, vale a pena e que leva à verdadeira realização”, afirmou.Já para Irmã Gentila Richetti, postuladora do processo, “A beatificação é uma confirmação pública da vida e da obra de santidade de um membro da Igreja. Madre Bárbara Maix será apresentada como quem viveu intimamente unida a Cristo e amou os irmãos e irmãs como Ele. Sua vida e sua obra dão testemunho deste amor. Bárbara desperta em nós a consciência e a alegria de sermos filhos e filhas de Deus, amados ao infinito!” exclamou a religiosa.A beatificação será no dia 06 de novembro de 2010 em Porto Alegre, RS
CRONOLOGIA - Para que esta etapa fosse vencida, um longo caminho foi percorrido: Em 1993 foi realizada em Porto Alegre (RS) a Sessão de Abertura do Processo Diocesano sobre a Vida, Virtudes e Fama de Santidade de Madre Bárbara, sendo que em 17 de março de 1997 o processo foi aberto na Congregação das Causas dos Santos, em Roma. Em 03 de julho de 2008, o Papa Bento XVI autorizou a publicação do Decreto referente às virtudes heróicas da Serva de Deus, Bárbara Maix, que, a partir dessa data, passou a ser Venerável na Igreja. Já no dia 22 de abril de 2009, o Congresso dos Teólogos reconheceu por unanimidade, ser MILAGRE a cura de Onorino Ecker, obtida pela intercessão da Venerável Serva de Deus, Bárbara Maix.
Atualmente, a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria é presença em 8 Paises e diversos Estados do Brasil e tem sua sede geral na cidade de Porto Alegre.No Norte e Noredeste marca presença nos Estados do RN, PB, CE, PI, MA, BA e TO.
Pela internet, a congregação dispõe de dois sites de divulgação de todo este processo: WWW.icm-sec.org.br ou pelo blog: barbaramaix.blogspot.com.

Roselei Bertoldo Ir. e Magnus Regis, Leigo ICM.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

É TEMPO DE AMAR!

Hoje em dia, é bem comum ver as pessoas comentando a cerca dos relacionamentos, principalmente os de cunho amoroso. É bem comum também, vermos adolescentes vivenciando um amor ou uma paixão, se entregando assim aos sentimentos muito precocemente. Isso não é bom, tendo em vista que, esses jovens atropelam o tempo e deixam de viver uma fase de sonhos e de brincadeiras, contudo, esses jovens ainda podem e devem perceber, que há tempo em nossa vida para tudo, e que a pressa é inimiga da perfeição. Cada ser humano constrói sua própria história, e todos, procuram por um bem chamado de felicidade, mas será que para ser feliz precisamos amar?
A resposta é bem nítida quando observamos o seguinte texto: “se eu falasse as línguas dos homens e as dos anjos, mas não tivesse amor, eu seria como um bronze que soa ou um címbalo que retine. Se eu tivesse o dom da profecia, se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se tivesse toda fé, aponto de remover montanhas, mas não tivesse amor, de nada me aproveitaria. O amor é paciente, é benfazejo; não é invejoso, não é presunçoso nem se incha de orgulho, não faz nada de vergonhoso, não é interesseiro, não se encoleriza, não leva em conta o mal sofrido não se alegra com a injustiça, mas fica alegre com a verdade. Ele desculpa tudo, crê tudo, espera tudo, suporta tudo”. (coríntios, 13,1-7). O amor é tudo isso que encontramos em coríntios, mas será que é aplicado em nossos relacionamentos? Será que somos tolerantes com o outro, perdoamos, será que nos relacionamentos amorosos falamos dos sentimentos mais profundos que habitam as nossas almas?
O que percebemos é que muitas vezes não estamos preparados para o amor, ou então não o conhecemos, todavia a procura tem que ser incessante, mas não precoce, devemos observar os ensinamentos de Jesus e lembrar que o mesmo em todos os momentos praticava o amor ao próximo sem se preocupar com o que os outros iriam pensar ou se ganharia algo em troca. Embora, o amor que Jesus pregava fosse o fraterno, devemos seguir os seus passos, em nossos namoros, casamentos e relacionamentos.
O dialogo, a conversa, os sonhos, as risadas, os medos, os traumas, as verdades, a beleza, o encantamento, a admiração, e tudo o resto têm que ser compartilhado com o outro, para se ter um verdadeiro amor precisamos ser transparentes, ou seja, não usar mascara, e estamos preparados para perdoar.

Josy Souza

FESTAS JUNINAS

Foi trazida para o Brasil pelos portugueses, mas também com influências de outras culturas como a chinesa,francesa e espanhola. É neste período que fazemos homenagens a três santos católicos; Santo Antonio, São João e São Pedro. Durante essas festas os mais velhos aproveitavam para agradecer pelas chuvas que eram mais fartas nessa época na região. As festas juninas são comemoradas em todo o país, mas é no nordeste que ela ganha grande expressão. Representam a nossa cultura e as nossas crenças, além de proporcionar um aumento na nossa economia; por conta dos turistas que nesse período visitam as cidades nordestinas para ver os festejos e se deliciarem com as comidas típicas, como: canjica, pipoca, pamonha, etc. Grande parte dessas comidas são preparadas a base de milho verde, já que junho é o mês da colheita do milho. As fogueiras, as simpatias, os balões e a dança de quadrilha são, com certeza características das festas juninas. Os símbolos são os três santos.
Simara de Morais

SOMOS CONVIDADOS PARA O SERVIÇO DO REINO

No sacramento do crisma afirmarmos que aceitamos os dons do Espírito Santo, renovamos as promessas que um dia nossos pais e padrinhos fizeram por nós no momento em que fomos batizados, que devemos ser cristãos de atitude. Mas, sabemos que muitas vezes nos falta essa atitude, e para nos livrar da culpa de não servir ao Senhor, falamos que não somos acolhidos pelos nossos irmão. Na verdade esse é o nosso maior desafio, no serviço do reino não devemos ir pelos outros, mas pela nossa disponibilidade em estar à disposição para a missão. Pois, diante de Deus pouco tem valor o que os outros pensam ao nosso respeito, e depois disto falamos que não temos tempo. Mas, não devemos culpar nos nossos irmão nem no tempo, porque se os culparmos é melhor que apontemos o dedo para nós mesmos, que não sabemos com lidar com esses conflitos. Estar disponível é graça de Deus, maior ainda quando colocamos nossa disponibilidade a serviço da comunidade paroquial e mais ainda dos irmãos. Logo depois da Crisma, normalmente a primeira tarefa da igreja é fazer com que os jovens ingressem em um movimento da Igreja, catequese, ministério de musica, de comunidade, para que ali, eles encontrem responsabilidades e amor ao serviço da Igreja, e quando isso acontece o jovem sempre vai querer mais ajudar. Depois de certo período nesses grupos e movimentos da comunidade, o jovem, não vai ser mais “verde”, sem maturidade na igreja. Com experiência de espírito de liderança, poderá “avançar para as águas mais profundas”. Encontrando-se melhor com a pastoral, e se identifique com o trabalho que desenvolve, é sempre a melhor opção. Devemos Procurar reavivar os dons que ele recebeu na crisma, para que o Espírito de Deus haja em seu coração, e que possa levar a palavra de Deus em todo lugar. Eis alguns exemplos de pastorais e seguimentos que existem em nossa comunidade: - Pastoral da Catequese; Ministérios de Música; Grupos missionários; Pascom (Pastoral da Comunicação); Apostolados da oração entre outras. Todos são chamados a fazer algo a mais na comunidade, por isso que ela tem a missão de ser acolhedora. Procure se informar com os nossos coordenadores em nossa comunidade, qual tem vaga disponível, e comece desde já, a sua presença é indispensável. Você sempre tem algo para pôr a serviço. Deus escolheu sempre os que pouco tinha ou nada possuíam para segui-Lo, os seus apóstolos são prova disso. “Muitos são os chamados, mas poucos são os escolhidos”.

Francisco de Assis

TAIPU ENCERRA FESTA DA PADROEIRA

Após 10 dias de festejos foi encerrada neste domingo (06), a Festa de Nossa Senhora do Livramento 2015. No último dia houve a alvorada com...