sábado, 27 de fevereiro de 2010

POÇO BRANCO REALIZA MINI ASSEMBLÉIA PASTORAL

Hoje, no período de 08h às 13h, a comunidade do Sagrado Coração de Jesus, de Poço Branco e as comunidades distritais religiosas do município, juntamente com o Pe. João Maria dos Anjos e o Diác. José Belizário.

Após a Oração Inicial e sendo feita uma dinâmica para chamar mais a atenção de todos os presentes com relação ao compromisso de todos com a missão e o companheirismo, o Pe. João Maria explicou a todos da possibilidade de podermos nos tornar Área Pastoral.
Falou que é um desejo dele próprio, também, porém, mostrou alguns requisitos para que isso podesse vir a acontecer.
Vejamos:

* Casa Paroquial;

- Isso Poço Branco já tem, porém, também é necessário a manutenção desta casa e de quem
nela possa vir morar como: alimentação, anergia, água, telefone e empregada.

* Carro;

- Para que o Padre possa se deslocar para as comunidades e celebrar se faz necessário um
carro e, com ele, a manutenção: peças, combustível.

* Plano de Saúde;

- O clero precisa de um plano de saúde para a manutenção de sua saúde, já que em nosso país,
como um todo isso ainda é uma situação precária.

* Salário;

- Um sálário para o padre, pois assim diz Senhor: "Permanecei na mesma casa, comei e bebei do
que eles tiverem, pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa". (Lc 10,7);

* Secretaria;

- Passando a ser Área Pastoral, toda a administração passa a ser realizada dentro da Área, ela já fica independente da Paróquia Nossa Senhora do Livramento, e com isso, salário para a secretária ou secretário.

A arrecadação mensal, hoje, está em torno de R$ 2.500,00 e passando a ser Área Pastoral, precisaria de, no mínimo, uma arrecadação mensal de R$ 4.500,00, para poder se cumprir todoas as despesas.

A comunidade de Poço Branco, juntamente com todas as suas comunidades distritais religiosas precisam atuar com mais afinco para que se possa mostrar a Cúria Arquidiocesana que temos capacidade de sermos independente e andarmos com nossos próprios pés.

A Paróquia Nossa Senhor do Livramento tem um total de 43 comunidades e fica difícil para um padre apenas atender todas elas. Mesmo com a presença do Diácono José Belizário, o que já veio somar muito na Paróquia, ainda não se consegue dar um atendimento aos fiéis, pois sabemos que o diácono é limitado.

Acredito que o que está faltando é crédito.

A comunidade do Sagrado Coração de Jesus sempre foi atuante e nunca deuixou a "peteca cair", não será, com a criação da Área que ela vai deixar.

Houve uma divisão de grupos para se fazer uma avaliação de pontos positivos e negativos; opiniões de como dinamizar a Missa sem ferir a Liturgia e a criação de encontros de louvor nas comunidades.
Os grupos mostraram as atividades já existentes nas comunidades como: reza do Terço, Adoração ao Santíssimo Sacramento nas capelas que tem o Santíssimo, estudos bíblicos e Missas e celebrações com a presenças do Padre e do Diácono.
O Pe. João Maria também lembrou da enquete feita entre os fiéis sobre a mudasnça da Missa do domingo às 17:30h para o sábado às 19:30h, ficando assim o percentual: 64,25% aprovaram a mudança e 35,75 não aprovaram. Esta enquete foi realizada, porque o Pe. João Maria notou um esvaziamento de fiéis na missa do domingo em relação a quando era celebrad no sábado.
Abaixo algumas fotos do encontro. Coloque o mouse sobre a foto para visualisar a legenda.


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

1º DOMINGO DA QUARESMA


Neste último dia 21/02, 1º Domingo da Quaresma, a nossa comunidade do Sagrado Coração de Jesus pôde refletir, dentro do tema da Campanha da Fraternidade 2010: Fraternidade e Economia, sobre o nosso dia-a-dia e como muitas vezes nos deixamos levar apenas pelo cotidiano e não prestamos atenção às mensagens que nos aparecem. A música "Filho do Dono", que está inclusa no CD da CF 2010 e que muitos a ouviram sendo cantada pelo cantor de forró Flávio José, é uma grande chamada de atenção sobre o nosso descaso com o semelhante. Quantas e quantas vezes ela foi ouvida e até se dançou ao som da mesma sem se dar conta da bela mensagem que nos estava sendo passada. O Pe. João Maria dos Anjos fez mais uma bela reflexão e exortou a todos a analisarem a nossa conduta de cristãos.

Neste período quaresmal, somos chamados a analisarmos nosso jeito de ser igreja, povo de Deus. Somos chamados a nos reconhecermos pecadores e buscarmos uma conversão entendendo o Plano de salvação do Pai através do seu Filho Jesus. As crianças já são chamadas a entenderem o motivo dessa união com o Pai através de Jesus que se faz alimento. O grupo da Perseverança busca essa continuação do ensinamento da catequese.


Confissão, entendimento desde cedo.

Homilia, exortação ao bem comum.

Apresentação do Grupo Perseverança.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

QUARTA-FEIRA DE CINZAS

O QUE SIGNIFICAM AS CINZAS?

O uso litúrgico das cinzas tem sua origem no Antigo Testamento. As cinzas simbolizam dor, morte e penitência. Por exemplo, no livro de Ester, Mardoqueu se veste de saco e se cobre de cinzas quando soube do decreto do Rei Asuer I (Xerxes, 485-464 antes de Cristo) da Pérsia que condenou à morte todos os judeus de seu império. (Est 4,1). Jó (cuja história foi escrita entre os anos VII e V antes de Cristo) mostrou seu arrependimento vestindo-se de saco e cobrindo-se de cinzas (Jó 42,6). Daniel (cerca de 550 antes de Cristo) ao profetizar a captura de Jerusalém pela Babilônia, escreveu: "Volvi-me para o Senhor Deus a fim de dirigir-lhe uma oração de súplica, jejuando e me impondo o cilício e a cinza" (Dn 9,3). No século V antes de Cristo, logo depois da pregação de Jonas, o povo de Nínive proclamou um jejum a todos e se vestiram de saco, inclusive o Rei, que além de tudo levantou-se de seu trono e sentou sobre cinzas (Jn 3,5-6). Estes exemplos retirados do Antigo Testamento demonstram a prática estabelecida de utilizar-se cinzas como símbolo (algo que todos compreendiam) de arrependimento.
O próprio Jesus fez referência ao uso das cinzas. A respeito daqueles povos que recusavam-se a se arrepender de seus pecados, apesar de terem visto os milagres e escutado a Boa Nova, Nosso Senhor proferiu: "Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque se tivessem sido feitos em Tiro e em Sidônia os milagres que foram feitos em vosso meio, há muito tempo elas se teriam arrependido sob o cilício e as cinzas. (Mt 11,21) A Igreja, desde os primeiros tempos, continuou a prática do uso das cinzas com o mesmo simbolismo. Em seu livro "De Poenitentia" , Tertuliano (160-220 DC), prescreveu que um penitente deveria "viver sem alegria vestido com um tecido de saco rude e coberto de cinzas". O famoso historiador dos primeiros anos da igreja, Eusébio (260-340 DC), relata em seu livro A História da Igreja, como um apóstata de nome Natalis se apresentou vestido de saco e coberto de cinzas diante do Papa Ceferino, para suplicar-lhe perdão. Sabe-se que num determinado momento existiu uma prática que consistia no sacerdote impor as cinzas em todos aqueles que deviam fazer penitência pública. As cinzas eram colocadas quando o penitente saía do Confessionário.
Já no período medieval, por volta do século VIII, aquelas pessoas que estavam para morrer eram deitadas no chão sobre um tecido de saco coberto de cinzas. O sacerdote benzia o moribundo com água benta dizendo-lhe: "Recorda-te que és pó e em pó te converterás". Depois de aspergir o moribundo com a água benta, o sacerdote perguntava: "Estás de acordo com o tecido de saco e as cinzas como testemunho de tua penitência diante do Senhor no dia do Juízo?" O moribundo então respondia: "Sim, estou de acordo". Se podem apreciar em todos esses exemplos que o simbolismo do tecido de saco e das cinzas serviam para representar os sentimentos de aflição e arrependimento, bem como a intenção de se fazer penitência pelos pecados cometidos contra o Senhor e a Sua igreja. Com o passar dos tempos o uso das cinzas foi adotado como sinal do início do tempo da Quaresma; o período de preparação de quarenta dias (excluindo-se os domingos) antes da Páscoa da Ressurreição. O ritual para a Quarta-feira de Cinzas já era parte do Sacramental Gregoriano. As primeiras edições deste sacramental datam do século VII. Na nossa liturgia atual da Quarta-feira de Cinzas, utilizamos cinzas feitas com os ramos de palmas distribuídos no ano anterior no Domingo de Ramos. O sacerdote abençoa as cinzas e as impõe na fronte de cada fiel traçando com essas o Sinal da Cruz. Logo em seguida diz : "Recorda-te que és pó e em pó te converterás" ou então "Arrepende-te e crede no Evangelho".

PERGUNTAS E RESPOSTAS

O QUE É QUARTA-FEIRA DE CINZAS?

É um princípio da Quaresma; um dia especialmente penitencial, em que manifestamos nosso desejo pessoal de CONVERSÃO a Deus. Quando vamos aos templos em que nos impõem as cinzas, expressamos com humildade e sinceridade de coração, que desejamos nos converter e crer de verdade no Evangelho.

QUANDO TEVE ORIGEM A PRÁTICA DAS CINZAS?

A origem da imposição da cinza pertence a estrutura da penitência canônica. Começou a ser obrigatória para toda a comunidade cristã a partir do século X. A liturgia atual conserva os elementos tradicionais: imposição da cinza e jejum rigoroso.

QUANDO SE ABENÇOA E SE IMPÕEM A CINZA?

A benção e a imposição da cinza tem lugar dentro da Missa, após a homilia; embora em circunstâncias especiais, se pode fazer dentro de uma celebração da Palavra. As formas de imposição da cinza se inspiram na Escritura: Gn, 3, 19 e Mc 1, 15.

DE ONDE PROVEM A CINZA?

A cinza procede dos ramos abençoados no Domingo de Ramos, do ano anterior, seguindo um costume que se remonta ao século XII. A forma de benção faz relação a condição pecadora de quem a recebeu.

QUAL É O SIMBOLISMO DA CINZA?

O simbolismo da cinza é o seguinte:
1. Condição fraca do homem, que caminha para a morte;
2. Situação pecadora do homem;
3. Oração e súplica ardente para que o Senhor os ajude; Ressurreição, já que o homem está destinado a participar no triunfo de Cristo;



A Quarta-feira de Cinzas na Igreja é um momento especial porque nos introduz precisamente no mistério quaresmal.
Uma das frases – no momento da imposição das cinzas – serve de lembrete para nós: 'Lembra-te que do pó viestes e ao pó, hás de retornar.' A cinza quer demonstrar justamente isso; viemos do pó, viemos da cinza e voltaremos para lá, mas, precisamos estar com os nossos corações preparados, com a nossa alma preparada para Deus.
A Quarta-feira de Cinzas leva-nos a visualizar a Quaresma, exatamente para que busquemos a conversão, busquemos o Senhor. A liturgia do tempo quaresmal mostra-nos a esmola, a oração e o jejum como o princípios da Quaresma.
A própria Quarta-feira de Cinzas nos coloca dentro do mistério. É um tempo de muita conversão, de muita oração, de arrependimento, um tempo de voltarmos para Deus.
Eu gosto muito de um texto do livro das Crônicas que diz: “Se meu povo, sobre o qual foi invocado o meu nome, se humilhar, se procurar minha face para orar, se renunciar ao seu mau procedimento, escutarei do alto dos céus e sanarei sua terra” (II Cr 7, 14).
A Quaresma é tempo conversão, tempo de silêncio, de penitência, de jejum e de oração.
Eu, padre Roger, pergunto para Deus: “Senhor, que queres que eu faça”? - mesma pergunta de São Francisco diante do crucifixo. Mas, geralmente, a minha penitência é ofertar algo de que eu gosto muito para Deus neste tempo quaresmal. Você, que fuma, por exemplo, deixe de fazê-lo na Quaresma. Tenho certeza de que após esse tempo quaresmal Deus o libertará do vício do cigarro. Você, que bebe, não beba, permitindo que o próprio Deus o leve à conversão pela penitência que você está fazendo. Talvez você precise fazer penitência da língua, da fofoca. Escolha uma coisa concreta e não algo que, de tão abstrato, não vai levá-lo a nada. Faça penitência de novela, você que as assiste. Tem de ser algo que o leve à conversão.
O Espírito Santo o levará à penitência que você precisa fazer nesta Quaresma.

Padre Roger Luis
Comunidade Canção Nova


NA PARÓQUIA

Nesta quarta-feira de Cinzas, dia 17, o Pe. João Maria dos Anjos, celebrou a Eucaristia, às 17h, na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Poço Branco e às 19h30 na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Livramento, em Taipu.

A comunidade participou deste momento especial, de conversão e oração, no tempo da Quaresma. A data também marca o lançamento da Campanha da Fraternidade de 2010.

Infelizmente o número de pessoas que vem para estas datas não é o mesmo durante as missas dominicais. Ainda se tem a ilusão de que as cinzas servem para apagar todo o pecado cometido durante os 04 dias de folia. Uma homilia profunda sobre conversão é feita para o povo, não só neste período, mas também durante todo o ano, mas muitos católicos ainda continuam fazendo "folia"com os mandamentos divinos.
Homilia
Distribuição das cinzas

RETIRO

O sítio da nossa irmã Salete mais uma vez foi aberto para que se pudesse acontecer um momento de reflexão e oração neste período onde as pessoas confundem alegria e festa com promiscuidade e depravação. Durante todo o dia da terça-feira de carnaval alguns fiéis se reuniram para refletirem sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2010 que este ano trata do tema: Fraternidade e Economia e, com isso, já fazendo uma preparação para o período quaresmal.
Somos todos chamados a viver uma busca incessante pela santidade neste mundo tão conturbado, onde o coletivo dá lugar ao individualismo e já não há mais diálogo fraterno e sim discórdia e desamor.
Precisamos ser cristãos conscientes de que "a morte é uma certeza, o céu uma esperança e o inferno uma possibilidade".


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

RETIRO DE CARNAVAL

A Comunidade do Sagrado Coração de Jesus, de Poço Branco, estará realizando mais um retiro. Será na terça-feira de carnaval onde os fiéis se reunirão no Sítio da nossa irmã Salete, que gentilmente o cedeu para este momento tão forte de louvor e oração. Durante todo o dia estaremos reunidos em oração, louvores e Adoração ao Santíssimo Sacramento, encerrando com a celebração presidida pelo Diácono José Belizário.
Será mais um momento de fé que a comunidade de Poço Branco demonstra na sua belíssima caminhada.
LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Para todo o sempre seja louvado.

CARNAVAL CONSCIENTE

A Igreja Católica é muito criticada por sempre estar contra o uso da camisinha. Sobretudo durante os carnavais a igreja chama a atenção de todos sobre a forma como deve se divertir sem passar dos limites. O sexo não é pecado, pecado é o que se faz com ele. A forma como o faz. O grande problema é que ele é colocado como mais um "apetrecho" da folia e também, fora dos carnavais, uma forma de se demonstrar o seu "amor".
Sabemos que o sexo desenfreado tem trazido sérias complicações familiares. Deus pediu aos seus filhos para "crescerem e se multiplicarem", mas pediu que isso acontecesse de maneira ordenada.
Se a igreja fizer pronunciamento à favor estará sendo conivente com o pecado.
Se faz necessário que todo católico consciente defenda o respeito aos mandamentos e a sua fé.
Que a juventude seja consciente e, nessa consciência, forme famílias serenas e conscientes do amor ao Deus de amor.
Que as folias dos carnavais antigos possam voltar a serem a forma sensata de se divertir. Que o carnaval promíscuo seja banido do nosso meio.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

INTERAÇÃO PAROQUIAL

Neste último sábado, 30/01/10, a equipe da PASCOM da comunidade do Sagrado Coração de Jesus se reuniu com o grupo atuante na cidade de Taipu, sede da Paróquia Nossa Senhora do Livramento, para intensificarem cada vez mais essa interação que deve existir dentro da paróquia.
A Paróquia, como um todo, deve participar das atividades e registrá-las para que cada vez mais se possa mostrar que o Reino de Deus está sendo levado a todos em toda parte.
A PASCOM vem cada vez mais mostrando seu trabalho de anuncio e buscando novos parceiros para que toda a paróquia possa ficar por dentro do que acontece dentro de toda a Paróquia. A presença dos jovens na PASCOM mostra cada vez mais essa sede que o jovem tem em atuar, mostrando toda sua força e destreza a serviço do Reino de Deus.


Componentes da PASCOM da Paróquia Nossa Senhora do Livramento

TAIPU ENCERRA FESTA DA PADROEIRA

Após 10 dias de festejos foi encerrada neste domingo (06), a Festa de Nossa Senhora do Livramento 2015. No último dia houve a alvorada com...