sexta-feira, 29 de junho de 2012

SÃO PEDRO E SÃO PAULO



Hoje a Igreja do mundo inteiro celebra a santidade de vida de São Pedro e São Paulo apóstolos. Estes santos são considerados "os cabeças dos apóstolos" por terem sido os principais líderes da Igreja Cristã Primitiva, tanto por sua fé e pregação, como pelo ardor e zelo missionários.
Pedro, que tinha como primeiro nome Simão, era natural de Betsaida, irmão do Apóstolo André. Pescador, foi chamado pelo próprio Jesus e, deixando tudo, seguiu ao Mestre, estando presente nos momentos mais importantes da vida do Senhor, que lhe deu o nome de Pedro. Em princípio, fraco na fé, chegou a negar Jesus durante o processo que culminaria em Sua morte por crucifixão. O próprio Senhor o confirmou na fé após Sua ressurreição (da qual o apóstolo foi testemunha), tornando-o intrépido pregador do Evangelho através da descida do Espírito Santo de Deus, no Dia de Pentecostes, o que o tornou líder da primeira comunidade. Pregou no Dia de Pentecostes e selou seu apostolado com o próprio sangue, pois foi martirizado em uma das perseguições aos cristãos, sendo crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por não se julgar digno de morrer como seu Senhor, Jesus Cristo.
Escreveu duas Epístolas e, provavelmente, foi a fonte de informações para que São Marcos escrevesse seu Evangelho.
Paulo, cujo nome antes da conversão era Saulo ou Saul, era natural de Tarso. Recebeu educação esmerada "aos pés de Gamaliel", um dos grandes mestres da Lei na época. Tornou-se fariseu zeloso, a ponto de perseguir e aprisionar os cristãos, sendo responsável pela morte de muitos deles.
Converteu-se à fé cristã no caminho de Damasco, quando o próprio Senhor Ressuscitado lhe apareceu e o chamou para o apostolado. Recebeu o batismo do Espírito Santo e preparou-se para o ministério. Tornou-se um grande missionário e doutrinador, fundando muitas comunidades. De perseguidor passou a perseguido, sofreu muito pela fé e foi coroado com o martírio, sofrendo morte por decapitação.
Escreveu treze Epístolas e ficou conhecido como o "Apóstolo dos gentios".

São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

Fonte: http://www.cancaonova.com

domingo, 24 de junho de 2012

ENSINAMENTOS


SÃO JOÃO BATISTA
João nasceu numa pequena aldeia chamada Aim Karim, a cerca de seis quilômetros lineares de distância a oeste de Jerusalém. Segundo interpretações do Evangelho de Lucas, era um nazireu de nascimento. Outros documentos defendem que pertencia à facção nazarita da Palestina, integrando-a na puberdade, era considerado, por muitos, um homem consagrado. De acordo com a cronologia neste artigo, João teria nascido no ano 7 a.C.; os historiadores religiosos tendem a aproximar esta data do ano 1º, apontando-a para 2 a.C..
Como era prática ritual entre os judeus, o seu pai Zacarias teria procedido à cerimónia da circuncisão, ao oitavo dia de vida do menino. A sua educação foi grandemente influenciada pelas acções religiosas e pela vida no templo, uma vez que o seu pai era um sacerdote e a sua mãe pertencia a uma sociedade chamada "as filhas de Araão", as quais cumpriam com determinados procedimentos importantes na sociedade religiosa da altura.
Aos 6 anos de idade, de acordo com a educação sistemática judaica, todos os meninos deveriam iniciar a sua aprendizagem "escolar". Em Judá não existia uma escola, pelo que terá sido o seu pai e a sua mãe a ensiná-lo a ler e a escrever, e a instruí-lo nas actividades regulares.
Aos 14 anos há uma mudança no ensino. Os meninos, graduados nas escolas da sinagoga, iniciam um novo ciclo na sua educação. Como não existia uma escola em Judá, os seus pais terão decidido levar João a Engedi (atual Qumram).

Morte dos pais e início da vida adulta

O pai de João, Zacarias, terá morrido no ano 12 d.C.. Com a morte do seu pai, Isabel ficaria dependente de João para o seu sustento. Era normal ser o filho mais velho a sustentar a família com a morte do pai. João seria filho único. Isabel terá morrido no ano 22.d.C e foi sepultada em Hebrom. João ofereceu todos os seus bens de família à irmandade nazarita e aliviou-se de todas as responsabilidades sociais, iniciando a sua preparação para aquele que se tornou um “objectivo de vida” - pregar aos gentios e admoestar os judeus, anunciando a proximidade de um “Messias” que estabeleceria o “Reino do Céu”.

Influência religiosa

É perspectiva comum que a principal influência na vida de João terá sido o registros que lhe chegaram sobre o profeta Elias. Mesmo a sua forma de vestir com peles de animais e o seu método de exortação nos seus discursos públicos, demonstravam uma admiração pelos métodos antepassados do profeta Elias. Foi muitas vezes chamado de “encarnação de Elias” e o Novo Testamento, pelas palavras de Lucas, refere mesmo que existia uma incidência do Espírito de Elias nas acções de João.
O Discurso principal de João era a respeito da vinda do Messias. Grandemente esperado por todos os judeus, o Messias era a fonte de toda as esperanças deste povo em restaurar a sua dignidade como nação independente. Os judeus defendiam a ideia da sua nacionalidade ter iniciado com Abraão, e que esta atingiria o seu ponto culminar com achegada do Messias. João advertia os judeus e convertia gentios, e isto tornou-o amado por uns e desprezado por outros.
Importante notar que João não introduziu o baptismo no conceito judaico, este já era uma cerimónia praticada. A inovação de João terá sido a abertura da cerimónia à conversão dos gentios, causando assim muita polémica.
Numa pequena aldeia de nome “Adão” João pregou a respeito “daquele que viria”, do qual não seria digno nem de apertar as alparcas (as correias das sandálias). Nessa aldeia também, João acusou Herodes e repreendeu-o no seu discurso, por este ter uma ligação com a sua cunhada Herodíades, que era mulher de Filipe, rei da Ituréia e Traconites (irmão de Herodes Antipas I). Esta acusação pública chegou aos ouvidos do tetrarca e valeu-lhe a prisão e a pena capital por decapitação alguns meses mais tarde.

Fonte: http://pt.wikipedia.org


PRECISAMOS TER CUIDADO COM O QUE ASSISTIMOS

A situação é extremamente preocupante: no Brasil, há uma televisão de altíssimo nível técnico e baixíssimo nível de programação.
Sem nenhum controle ético por parte da sociedade, os chamados canais abertos (aqueles que se podem assistir gratuitamente) fazem a cabeça dos brasileiros e, com precisão satânica, vão destruindo tudo que encontram pela frente: a sacralidade da família, a fidelidade conjugal, o respeito e veneração dos filhos para com os pais, o sentido de tradição (isto é, saber valorizar e acolher os valores e as experiências das gerações passadas), as virtudes, a castidade, a indissolubilidade do matrimônio, o respeito pela religião, o temor amoroso para com Deus.
Na telinha, tudo é permitido, tudo é bonitinho, tudo é novidade, tudo é relativo!
Na telinha, a vida é pra gente bonita, sarada, corpo legal…
A vida é sucesso, é romance com final feliz, é amor livre, aberto desimpedido, é vida que cada um faz e constrói como bem quer e entende!
Na telinha tem a Xuxa, a Xuxinha, inocente, com rostinho de anjo, que ensina às jovens o amor liberado e o sexo sem amor, somente pra fabricar um filho…
Na telinha tem o Gugu, que aprendeu com a Xuxa e também fabricou um bebê…
Na telinha tem os debates frívolos do Fantástico, show da vida ilusória…
Na telinha tem ainda as novelas que ensinam a trair, a mentir, a explorar e a desvalorizar a família…
Na telinha tem o show de baixaria do Ratinho e do programa vespertino da Bandeirantes, o cinismo cafona da Hebe, a ilusão da Fama…
Enquanto na realidade que ela, a satânica telinha ajuda a criar, temos adolescentes grávidas deixando os pais loucos e a o futuro comprometido, jovens com uma visão fútil e superficial da vida, a violência urbana, em grande parte fruto da demolição das famílias e da ausência de Deus na vida das pessoas, os entorpecentes, um culto ridículo do corpo, a pobreza e a injustiça social…
E a telinha destruindo valores e criando ilusão…
E quando se questiona a qualidade da programação e se pede alguma forma de controle sobre os meios de comunicação, as respostas são prontinhas:
(1) assiste quem quer e quem gosta,
(2) a programação é espelho da vida real,
(3) controlar e informação é antidemocrático e ditatorial…
Assim, com tais desculpas esfarrapadas, a bênção covarde e omissa de nossos dirigentes dos três poderes e a omissão medrosa das várias organizações da sociedade civil – incluindo a Igreja, infelizmente – vai a televisão envenenando, destruindo, invertendo valores, fazendo da futilidade e do paganismo a marca registrada da comunicação brasileira…
Um triste e último exemplo de tudo isso é o atual programa da Globo, o Big Brother.
Observe-se como o Pedro Bial, apresentador global, chama os personagens do programa: “Meus heróis! Meus guerreiros!” – Pobre Brasil!
Que tipo de heróis, que guerreiros!
E, no entanto, são essas pessoas absolutamente medíocres e vulgares que são indicadas como modelos para os nossos jovens!
Como o programa é feito por pessoas reais, como são na vida, é ainda mais triste e preocupante, porque se pode ver o nível humano tão baixo a que chegamos!
Uma semana de convivência e a orgia corria solta…
Os palavrões são abundantes, o prato nosso de cada dia…
A grande preocupação de todos – assunto de debates, colóquios e até crises – é a forma física e, pra completar a chanchada, esse pessoal, tranqüilamente dá-se as mãos para invocar Jesus…
Um jesusinho bem tolinho, invertebrado e inofensivo, que não exige nada, não tem nenhuma influência no comportamento público e privado das pessoas…
Um jesusinho de encomenda, a gosto do freguês… que não tem nada a ver com o Jesus vivo e verdadeiro do Evangelho, que é todo carinho, misericórdia e compaixão, mas odeia o fingimento, a hipocrisia, a vulgaridade e a falta de compromisso com ele na vida e exige de nós conversão contínua!
Um jesusinho tão bonzinho quanto falsificado…
Quanta gente deve ter ficado emocionada com os “heróis” do Pedro Bial cantando “Jesus Cristo, eu estou aqui!”
Até quando a televisão vai assim?
Até quando os brasileiros ficaremos calados?
Pior ainda: até quando os pais deixarão correr solta a programação televisiva em suas casas sem conversarem sobre o problema com seus filhos e sem exercerem uma sábia e equilibrada censura?
Isso mesmo: censura!
Os pais devem ter a responsabilidade de saber a que programas de TV seus filhos assistem, que sites da internet seus filhos visitam e, assim, orientar, conversar, analisar com eles o conteúdo de toda essa parafernália de comunicação e, se preciso, censurar este ou aquele programa.
Censura com amor, censura com explicação dos motivos, não é mal; é bem!
Ninguém é feliz na vida fazendo tudo que quer, ninguém amadurece se não conhece limites; ninguém é verdadeiramente humano se não edifica a vida sobre valores sólidos…
E ninguém terá valores sólidos se não aprende desde cedo a escolher, selecionar, buscar o que é belo e bom, evitando o que polui o coração, mancha a consciência e deturpa a razão!
Aqui não se trata de ser moralista, mas de chamar atenção para uma realidade muito grave que tem provocado danos seríssimos na sociedade.
Quem dera que de um modo ou de outro, estas linha de editorial servissem para fazer pensar e discutir e modificar o comportamento e as atitudes de algumas pessoas diante dos meios de comunicação.

Por: Dom Henrique Soares, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Aracajú-SE

domingo, 17 de junho de 2012

MINISTÉRIO DE MÚSICA NOVA SEMENTE EM MISSÃO


No último dia 14/06, o Ministério de Música Nova Semente, da comunidade do Sagrado Coração de Jesus viajou para o distrito de Guajirú, município de São Bento do Norte. Foram convidados para animarem a Santa Missa naquele local, que estava festejando seu padroeiro, o Sagrado Coração de Jesus. Na ocasião, receberem a primeira Eucaristia 24 crianças sob a presidência do Pe. Adriano.
O Nova Semente já havia estado no distrito para a realização de um momento de louvor junto com o Terço dos Homens local. A comunidade muito se alegrou com o trabalho do Ministério e tem feito convites para eles animarem com louvores e orações.
Intercâmbio como estes são maravilhosos para mostrar a riqueza das bênçãos, luzes e inspirações que o Senhor realiza naqueles que se deixam ser tocados.

FESTA DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA


Desde o dia 06/06 o Conjunto Novos Tempos está em festa por ocasião das festividades em honra de sua padroeira, o Imaculado Coração de Maria. Intercalando com as orações ao Sagrado Coração de Jesus, os fiéis se reuniam na capela, localizada no conjunto por trás do Hospital Municipal para os momentos de orações.
Neste sábado, dia 16/06, todos se reuniram em torno do altar do Senhor para a missa de encerramento do novenário com a presidência do Pe. Francisco de Assis, Administrador Paroquial da nossa Paróquia.
Com uma participação massiva o povo participou ativamente da Santa Missa e refletiu prontamente com as palavras do celebrante que mostrou a grande importância para o povo e o verdadeiro exemplo de amor e ternura que tem os dois Corações Sagrados.que estão interligados.
Após a missa, em frente à capela, todos participaram da quermesse que tinha leilão, pescaria, bazar, música ao vivo entre outras coisas.
Esta é mais uma data religiosa que está se tornando tradição na cidade. A participação do povo é algo a se elogiar e causa emoção, pois, este povo sempre mostrou sua fé e participação. Povo que escuta o chamado e está sempre pronto a trabalhar em prol do Reino.


DIA OFICIAL DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS


O Pe. Francisco de Assis realizou este ano, juntamente com os festejos ao Imaculado Coração de Maria, um período de orações em honra ao Sagrado Coração de Jesus por ocasião da sua data oficial que é 15 de junho. Em Poço Branco se realiza as comemorações do padroeiro em outubro devido já a uma antiga tradição por causa, ainda, de Poço Branco velho que transferiram a data por motivo da colheita que só acontecia neste período de outubro. O antecessor do Pe. Assis, o Pe. João Maria, já havia tido a idéia da mudança das festividades do padroeiro para a sua data oficial, no mês de junho, mas, ficou apenas em idéia. O novo administrador paroquial tem apoiado esta idéia, levando em conta que aniversários devem ser comemorados em sua data real.
Este ano o Pe. Assis realizou momentos intercalados de oração na igreja do Sagrado Coração de Jesus e na capela do Imaculado Coração de Maria. No dia 15, sexta-feira, foi realizada uma caminhada penitencial tendo início às 04h da manhã pelas ruas da cidade. Após a caminhada, foi posta uma mesa em frente a igreja e aconteceu um lindo ágape. Todos depositaram alimentos que trouxeram e houve uma condivisão em família. Ao meio-dia houve o ofício da Imaculada Conceição e à noite, às 19:30h, missa celebrada pelo Pe. Francisco de Assis. Após a missa, os fiéis participaram de uma procissão luminosa levando a imagem do Sagrado Coração de Jesus até a capela do Imaculado Coração de Maria no conjunto novos tempos.


sábado, 9 de junho de 2012

SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI EM POÇO BRANCO


A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Santa Igreja sentiu necessidade de realçar a presença real do “Cristo todo” no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes. Aconteceu, porém, que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, aconteceu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Alguns dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.
O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S. Tomás de Aquino, informado do milagre, então, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou a Procissão na entrada de Orvieto, teria então pronunciado diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”.
A Eucaristia é um dos sete Sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: “Este é o meu corpo… isto é o meu sangue… fazei isto em memória de mim” (Cf. Lc 22,19-20). Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o Domingo da Santíssima Trindade.

Fonte: http://blog.cancaonova.com/padreluizinho

Em Poço Branco, os fiéis reuniram-se às 08h na Igreja do Sagrado Coração de Jesus para a Santa Missa de Corpus Christi e logo após a procissão por algumas ruas da cidade.





sexta-feira, 8 de junho de 2012

Coroação de Nossa Senhora e VII Seresta da Família



É comum ouvirmos ou lermos que “quem gosta de passado é museu”. Isto quer referir-se a não olhar para trás, mas sempre ir em frente. Claro que devemos seguir em frente e sempre querermos melhoras. Porém, nunca devemos esquecer que o presente jamais acontecerá se não houver um passado e para que o futuro aconteça da maneira como desejamos, temos que refletir sobre o passado e vivermos um presente sereno para qeu o futuro possa ser realmente promissor.
Inicio esta matéria desta forma, pois, é olhando o passado e seus momentos que se faz em nossas mentes imagens do que aconteceu outrora e que se pode fazer um resgate destes momentos lindos. Para os que lá estiveram é uma rememoração, para os que apenas ouvem falar, vem uma imagem formada a partir de relatos daqueles que viveram estes momentos gloriosos.
Para aqueles que viveram nos tempos do saudoso “Poço Branco Velho”, falar dos momentos marcantes que ali aconteceram, é algo ímpar. Quando conversamos com alguém que lá esteve, podemos vislumbrar a alegria no falar, o brilho nos olhos, a emoção de poder relembrar aqueles momentos fantásticos. Todos os anos, no mês de maio, os católicos rezam o terço todos os dias em honra à Mãe de Deus e nossa e no dia 31, todos se reúnem para a linda solenidade de coroação de Nossa Senhora. O que hoje acontece, com a realização da Seresta da Família, é um resgate da quermesse que era realizada naqueles tempos por ocasião desta data.
O senhor José Rodrigues da Silva, nosso querido “Zé Caxiado”, relembra aquele momento com muito entusiasmo e emoção.
Segundo S. Zé Caxiado todos os dias era feito por noiteiros. 
Havia: “Noite dos solteiros, noite dos casados, (e tudo bem festejado, cada um que queria festejar mais) noite dos trabalhadores, noite dos motoristas, noite dos estudantes, noite dos professores. Cada noite era para um grupo da comunidade e todos participavam bonito. Eu participei de todas elas. Achava lindo. E quando chegava o dia 31, rezava o terço na igreja e depois ia em procissão para a frente da minha casa que ficava a cerca de 20 braças da igreja. Lá tinha duas pedras que se fazia um gruta. Todos os dias tinham as flores que ornamentava a igreja e depois era levada para lá. No dia 31 se queimava estas flores. Depois, voltávamos para a igreja onde começava a quermesse com o leilão. Tinha galinha assada, bolo, refrigerante e algumas coisas mais. E tudo era doado pelo povo. A igreja não comprava nada. Todos que faziam parte das noite era quem doava. Hoje eu acho diferente a forma como se faz a festa do mês de maio. Na noite da secretaria eu fui. Só foi eu e o Gué e eu pensava que alguém ia pedir alguma coisa. Levei até dinheiro para que se pedissem eu já ajudar. Eu sempre ajudei a igreja. O mês de maio devia ser bem festejado. Bem participado. O povo todo ajudando.”

Capela do Sagrado Coração de Jesus em Poço Branco Velho

No próximo ano a paróquia Nossa Senhora do Livramento irá festejar 100 anos de criação. Perguntei ao S. Zé, se ele tinha lembrança do ano que foi construída a capela do Coração de Jesus em Poço Branco Velho. Ele disse que não tem bem certo porém, segundo lembrança sua de diálogo com seu irmão, o saudoso Raimundo Caxiado, a capela foi construída por volta do ano de 1906.
Com a construção da barragem e consequentemente a saída do povo para a Nova Poço Branco, S. Zé falou que não houve um movimento grande para isso. Apenas se trouxe a imagem, no ano de 1963. A nova capela ainda não sido construída, por isso, as missas eram celebradas na praça, onde era armada uma barraca e o então querido Pe.. Aquino celebrava para todos. No ano de 1965 foi inaugurada a Nova Igreja do Sagrado Coração de Jesus. S. Zé lembra as festas em Homenagem ao Coração de Jesus que no tempo era animada por uma radiolazinha, porém, todos participavam até amanhecer o dia. Com a construção dos clubes a festa começou a ter suas mudanças.
A Seresta da Família, que já está no seu 7º ano, é uma forma de resgatar a tradição de um povo que vive a sua fé. Que mostra seu valor. Que deseja poder caminhar com seus próprios pés. Povo participante, atuante, vibrante hospitaleiro, carinhoso e cheio de energia.

Abaixo, algumas fotos da coroação e da VII Seresta da Família









TAIPU ENCERRA FESTA DA PADROEIRA

Após 10 dias de festejos foi encerrada neste domingo (06), a Festa de Nossa Senhora do Livramento 2015. No último dia houve a alvorada com...