quarta-feira, 2 de maio de 2012

PALAVRA DO ARCEBISPO


Dom Jaime Vieira Rocha
Arcebispo Metropolitano de Natal
Eis a obra que o Senhor realizou
 
Prezados irmãos e irmãs em Cristo, na alegria da Páscoa e na exultação da Ressurreição do Senhor, desejo falar-lhe ao coração sobre a vida nova que se abriu para nós a partir do dia do triunfo do Senhor: “Eis que faço novas todas as coisas” (Ap 21,5). Quis Deus definitivamente restaurar todas as coisas em Cristo, pelo poder de sua Cruz e Ressurreição: “[...] Deu-nos a conhecer o mistério da sua vontade, conforme decisão prévia que lhe aprouve tomar para levar o tempo à plenitude: a de restaurar todas as coisas em Cristo, as que estão nos céus e as que estão na terra” (Ef 1,9-10). É por essa razão que Jesus afirma: “Quando eu for elevado da terra, atrairei a mim todas as coisas” (Jo 12-32). Deus é fiel e cumpre aquilo que prometeu aos nossos pais: “Eis que virão dias, diz o Senhor, em que concluirei uma nova aliança com a casa de Israel e a casa de Judá; [...] Esta será a aliança que concluirei com a casa de Israel, depois desses dias, diz o Senhor: imprimirei minha lei em suas entranhas, e hei de escrevê-la em seu coração; serei seu Deus e eles serão o meu povo” (Jr 31,31-34).

Deus revela, assim, que não deixará incompleta a obra da salvação e concluirá a obra de suas mãos, conforme ensina o santo apóstolo Paulo: “[...] Tenho plena certeza de que aquele que iniciou em vós a obra da fé há de completá-la e levá-la à perfeição até o dia de Cristo” (Fl 1,1-11). Mas, qual é a obra de Deus e o que faremos para concretizá-la? Jesus mesmo esclarece àqueles que o interrogaram: “[...] A obra de Deus é esta: que creiais naquele que ele enviou” (Jo 6,28-29). Ao restaurar todas as coisas em Cristo, o Deus deseja também que nossa vida seja transformada, restaurada e renovada pelo poder da Ressurreição do Senhor. Por essa razão, São Paulo nos exorta a abandonar antiga vida e correr no caminho da vida nova: “[...] Rejeitando todo fardo e o pecado que nos envolve, corramos com perseverança no caminho que nos é proposto, com os olhos fixos naquele que iniciou e concluirá em nós a obra da fé, Jesus [...]” (Hb 12,1-2).

A obra de Deus não ficará inacabada, pois ele mesmo se encarregará de levá-la a sua plenitude e perfeição, por meio de seu Filho Unigênito: “Eu te glorifiquei na terra, conclui a obra que me encarregaste de realizar. E agora, glorifica-me, Pai, junto de ti, com a glória que eu tinha junto de ti antes que o mundo existisse” (Jo 17,4-5). Desse modo, podemos compreender as palavras de Jesus na Cruz, antes de entregar o seu espírito: “Tudo está consumado!” (Jo 19,30). Somos, pois, todos chamados a completar em nós a obra da Salvação que Deus concluiu por meio de Cristo. Somos convocados a participar de sua Paixão, Morte e Ressurreição, a fim de sermos transformados em novas criaturas pela força e pelo poder da Ressurreição do Senhor. Homem novo, vida nova, graças à obra da Salvação que, pela fé em Cristo, Deus realizou em nós. Superemos todos os desafios e dificuldades. Vençamos todas as limitações humanas, pessoais e comunitárias. Vejamos em que áreas e aspectos da nossa vida, da nossa missão e das nossas responsabilidades precisamos buscar a graça da ressurreição para transformá-las e aperfeiçoá-las.
Deus não é deus de obra inacabada. Ele a concluiu e levou-a a perfeição em Cristo. Por isso, abramos o nosso coração para que esta verdade se torne uma realidade dentro de nós, em nossa vida. Ouçamos a Voz de Deus a nos orientar no caminho da salvação: “Esforça-te e tem bom ânimo, e faze a obra; não temas, nem te apavores; porque o Senhor Deus, há de ser contigo; não te deixará, nem te desamparará, até que acabes toda a obra do Senhor” (I Crônicas 28.20).

http://www.arquidiocesedenatal.org.br/aordem/ao2904bispo.htm  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TAIPU ENCERRA FESTA DA PADROEIRA

Após 10 dias de festejos foi encerrada neste domingo (06), a Festa de Nossa Senhora do Livramento 2015. No último dia houve a alvorada com...